Sesc Pompeia: rio, fogueira e biblioteca

Categoria: Broto-Arquiteto DANIEL CARCAVALLI e Edite Galote Carranza Imprimir Email

Ninguém transformou nada. Encontramos uma fábrica com a estrutura belíssima, arquitetonicamente importante, original, ninguém mexeu… O desenho de arquitetura do Centro de Lazer Sesc Fábrica da Pompeia partiu do desejo de construir uma outra realidade”. (Lina Bo)

Espelho d’água em primeiro plano e a fogueira, em segundo plano. Foto: Daniel Carcavalli, 2017Espelho d’água em primeiro plano e a fogueira, em segundo plano. Foto: Daniel Carcavalli, 2017

 

Aparência nobre, mas com espírito humilde e artesanal, com materiais nacionais, do povo, justamente encontrados nas mais diversas casas do país, árido, se não fosse pelo espelho d’água, carinhosamente apelidado por Lina Bo de Rio São Francisco (prova da esperança de um povo que vive sob a seca), a água surge para congregar, mesmo que em brincadeiras das crianças, que sem medo de se molhar, passam a ser personagens daquele espaço lúdico, sensual, sem concessão a nenhum tipo de status, pleno.

“sob os antigos telhados de três galpões unidos serpenteia um riacho recortado do piso de pedra, referência ao principal rio do Nordeste, o São Francisco” (Lina Bo)

Lareira. Foto: Edite Galote CarranzaLareira. Foto: Edite Galote Carranza

 

O fogo, despojado, causa uma sensação de aconchego, naturalmente primitivo, um gesto bonito de reunião para conversas, mais uma vez o rústico e o sofisticado se unem em harmonia fazendo surgir uma composição experimental em que o usuário pode se deliciar e ali, sutilmente comunga do espaço arquitetural. A luz, graciosamente inunda o espaço por meio de telhas de vidro, molda as sombras geradas pelas estruturas do mezanino da biblioteca em concreto aparente, dramatizando ainda mais o galpão, mas ainda sim, revela e não mostra a obra como um todo. É minha biblioteca preferida, está onde nunca se imaginaria colocar uma biblioteca, imagine só, naquele burburinho de brincadeiras e conversas existe também a contemplação da leitura, que lugar! O passeio é deliciosamente marcado por esses 3 grandes espaços dentro do espaço. O rio, a fogueira e a biblioteca.

 

Estrutura em concreto aparente, mezanino da biblioteca, vigas guarda-corpo com cerca de 4cm de espessura. Foto: Daniel Carcavalli, 2017Estrutura em concreto aparente, mezanino da biblioteca, vigas guarda-corpo com cerca de 4cm de espessura. Foto: Daniel Carcavalli, 2017

 

Telhado de armação de madeira e telhas de vidro. Foto: Edite Galote CarranzaTelhado de armação de madeira e telhas de vidro. Foto: Edite Galote Carranza

 

Sesc Pompeia Foto: Edite Galote CarranzaSesc Pompeia Foto: Edite Galote Carranza

 

Autor: Daniel Carcavalli é estudante do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade São Judas Tadeu, membro do Grupo de Pesquisa CNPQ “Arquitetura: abordagens alternativas e transdisciplinares” e editor broto-arquiteto da Revista 5% arquitetura + arte.

Co-autor: Edite Galote Carranza

REFERÊNCIAS

BARDI, Lina Bo. Lina Bo Bardi. Revista AU- Arquitetura e Urbanismo, São Paulo, n.11, abril-maio, p.25-27, 1987.

CIDADELA DA LIBERDADE. Lina Bo Bardi e o SESC Pompeia. Marcelo Ferraz org. São Paulo: Edições Sesc, 2013.

SANTOS, Cecília Rodrigues. Sesc Fábrica Pompéia. Lisboa: Editoral Balu, 1996.

REVISTA AU. Lina Bo Bardi. São Paulo: Editora PINI, n. 40, fev. mar. 1992.

Acessos: 293

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar