O SOL DE CASA

Categoria: Poesia Escrito por Ricardo Carranza Imprimir Email

Para Edite

Os dias em casa começam cedo,

o mais das vezes;

e sempre é o cheiro de café

que ilumina a casa,

que entra dentro de mim

pelas minhas narinas aguçadas.

É o perfume do café

que você prepara,

você simples sempre,

inigualável,

que amanhece o dia para mim.

É seu café preto,

fulgurante, amoroso,

belo como um sol negro,

que faz o dia raiar,

a vida valer a pena,

a coragem correr nas veias

com a força certa pra ganhar o dia.

Seu café, aromático e perfeito,

é o sol que se ergue em nossa cozinha;

astro-rei fumegante

suspenso por suas mãos mínimas.

Só então abrir a janela

e ver o sol da cidade.

* Poema classificado para Antologia Prêmio Padre João Batista Zecchin 2006, Associação de Escritores de Bragança Paulista - SP.

    Ricardo Carranza
    Mestre em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, 2000, diretor do escritório de arquitetura e editora G&C Arquitectônica Ltda, editor da revista 5% Arquitetura + Arte e escritor. Publicações: Antologias de Concursos Nacionais – SCORTECCI, SESC DF; revista de literatura – CULT; sites de Poesia e Literatura – Zunái, Stéphanos, Germina, Cult - Ofi-cina Literária, Mallarmargens, O arquivo de Renato Suttana, Triplov. LIVROS: Poesia – publicados: Sexteto, Edição do Autor, SP, 2010; A Flor Empírica, Edição do autor, SP, 2011; Dramas, Editora G&C Arquitectônica Ltda., SP, 2012. Inéditos – Pastiche, 2017/2018; poesia... 2019. Contos – inéditos: A comédia dos erros, 2011/2018 – pré-selecionado no Prêmio Sesc de Literatura 2018; Anacronismos, 2015/2018; 7 Peças Cáusticas, 2018. Romance inédito: Craquelê, 2018/2019. Cadernos de Insônia (58): desde 2009. ARTIGOS publicados na revista 5% Arquitetura+Arte desde 2005.
    Acessos: 212

    Adicionar comentário


    Código de segurança
    Atualizar